Você é quem gostaria de ter ao seu lado?

Dia desses estava irritada, nervosa. Um outro alguém havia me tirado do sério sem razão e sem motivo aparente. Isso acontece quando algumas dessas pessoas percebem sua paz de espírito e sua alegria. De alguma maneira isso incomoda e a única maneira de tirar o incômodo que ficou nela, é incomodar vocês! No caso, eu!

Depois de me irritar, ficar chateada e perder algumas horas pensando a infelicidade da pessoa, comecei a pensar se aquela pessoa gostaria de ter a si mesma por perto.

Claro que esse questionamento veio para mim também e comecei a me perguntar se eu me suportaria se eu tivesse uma clone de mim mesma.

Isso me fez refletir não só no tipo de pessoa que eu sou e nas minhas ações com as outras pessoas, mas principalmente em que tipo de mãe, esposa, filha, irmã e amiga eu sou ou pareço ser para os outros.

Será que eu gostaria de me ter em qualquer desses papéis? Será que eu me suportaria?

Olhar e observar o erro do outro tem me feito refletir, olhar e observar os meus próprios, e isso nos tira toda a culpa, nos traz a vontade de fazer diferente e mudar o que não está legal.

O que eu falo não é de pegar o lixo do outro. Sim, a pessoa que me tirou do sério sem motivo, queria passar para mim um incômodo e mal estar que era dela e isso não me pertence. Isso eu deixo para ela. Mas refletir sobre aquela pessoa me trouxe a reflexão sobre mim mesma.

Será que eu sou a mãe que eu gostaria de ter? Tenho sido compreensiva, presente, amorosa e especial como gostaria que a minha mãe fosse ( e a minha foi e é).

Não podemos criar expectativa sobre o que os outros esperam e pensam de nós, mas precisamos buscar o que queremos e esperamos de nós mesmas. Quem queremos ser e nos tornar, que tipo de imagem, marca e lembrança queremos deixar nas pessoas?

Esse é o meu questionamento de hoje. Você gostaria de ser a sua própria companhia? De te ter como mãe, irmã ou filha?

0

Bela Aires

Desde que me tornei mãe passei a me interessar por todos os assuntos referentes à infância e maternidade. Compartilho aqui, com você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *