Crescer com um animal de estimação pode trazer benefícios sociais, emocionais e educacionais às crianças e adolescentes, de acordo com um estudo publicado na semana passada. Crianças com animais de estimação tendem a ter autoestima mais elevada, se sentem menos sozinhas e têm mais habilidades sociais. A pesquisa sustenta a convicção de que os pets podem ajudar no desenvolvimento de crianças saudáveis.

O Estudo da Universidade de Liverpool, publicado no International Journal of Environmental Research and Public Health (Jornal Internacional de Pesquisa Ambiental e Saúde Pública) foi financiado pelo WALTHAM Centre for Pet Nutrition, parte da Mars Petcare, maior empresa de alimentos para pets do mundo e líder global absoluta no segmento, e liderado pela Dra. Carri Westgarth, do Instituto de Infecção e Saúde Global (Institute of Infection and Global Health). Os pesquisadores realizaram uma análise profunda e uma avaliação de qualidade dos estudos que investigaram os efeitos de se ter animais de estimação no desenvolvimento emocional, educacional e comportamental de crianças e adolescentes.

“Qualquer um que cresceu com um animal de estimação e o amou sente, intrinsicamente, o valor da convivência”, diz a Dra. Carri Westgarth, líder do projeto. “As evidências científicas provenientes de investigações sobre os benefícios ao desenvolvimento de crianças e adolescentes parecem promissoras. Analisamos profundamente essas evidências para entender que benefícios em potencial são mais fortemente sustentados. Em última análise, isso irá nos permitir saber mais sobre como os animais de estimação dão suporte emocional, educacional e social às crianças e adolescentes”.

“As idades críticas para o impacto da presença de animais de estimação na autoestima parecem ser mais expressivasem crianças com menos de seis anos e também em pré-adolescentes e adolescentes com mais de 10. Em geral, cães e gatos são considerados os melhores provedores de suporte social, talvez em função de um nível maior de interação e reciprocidade em comparação com outros animais de estimação”, diz a autora principal do estudo Rebecca Purewal. Nas culturas ocidental e não-ocidental os animais de estimação podem agir como uma forma de apoio psicológico, ajudando as crianças a se sentirem melhor sobre si mesmas e criando uma autoimagem positiva”.

“Os padrões entre subpopulações e grupo de idade sugerem que animais de estimação têm o potencial de promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes saudáveis”, diz a pesquisadora de WALTHAM™ Nancy Gee, coautora do estudo. “Esse é um campo estimulante e ainda há muito que aprender sobre os processos através dos quais a propriedade de animais de estimação pode impactar o desenvolvimento de crianças saudáveis”.

Universidade de Liverpool

A Universidade de Liverpool é uma das principais instituições de pesquisa do Reino Unido, com 81% das pesquisas classificadas como líderes mundiais ou excelentes internacionalmente. A Liverpool se classifica entre as 1% melhores instituições de ensino superior no mundo é afiliada ao Russell Group. Visite http://www.liv.ac.uk ou siga-nos no Twitter em http://www.twitter.com/livuninews.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *