Tenho uma filha de seis anos e uma de três. Uma filha, tenho certeza que já passou a fase mais difícil até agora, e a outra vejo que está chegando lá!

Tantos pais reclamam de acordar de madrugada, trocar fraldas, dar papinha, correr atrás das crianças que começam a andar! Nunca reclamei dessas coisas e nem remédio tive problemas para dar! A minha primogênita foi daqueles bebês de propaganda: dormia a noite inteira desde 1 mês e meio, sempre comeu super bem, deixava eu escolher suas roupinhas e até remédio ela gostava de tomar… até chegar aos 4 anos!

Parecia que tinham trocado minha filha na escola e ela tinha voltado com o físico igual e personalidade diferente.

A criança aos 4 anos faz amizades, forma grupos e faz várias descobertas, inclusive a de te desafiar! É como se fosse uma adolescência infantil: você sabe pouco sobre como lidar com ela e ela tem total controle sobre você. Era exatamente isso que eu sentia!

Se você está passando por isso, saiba que aos 5 anos a fase passa! Graças a Deus!

Por já estarem na escola na tendência de querer sobressair aos amiguinhos para serem ouvidos, eles começam a gritar mais e reduzem a paciência em 97,5%. Pedem a mesma coisa 30 vezes em menos de um minuto e antes que você tenha tempo de responder. São capazes de respostas atravessadas com direito a batida de porta e resmungos. Sim… seja bem vindo aos quatro anos!

Ao mesmo tempo que a criança demonstra tanta força no enfrentamento e embate com os pais, demonstra uma sensibilidade à flor da pele! Sensível, muitas vezes choram e fazem birra como bebês. Não podemos esquecer que são pequenos e ainda muito inocentes, mas temos que impor nossa autoridade com firmeza e segurança.

Várias vezes você se sentirá em um teste da sua autoridade e paciência . Tudo o que você pensou que sua criança havia aprendido foi de repente apagado e, em seus quatro anos de idade está aprendendo rapidamente a partir de cada detalhe de sua reação. Você já passou por fases antes e você sabe que não vai ser um fim , mas vai se perguntar todos os dias , se aquela pessoa na sua frente algum dia vai voltar a ser um ser humano reconhecível , ou melhor ainda , o sua bebê doce e preciosa.

O ideal é investigarmos a fundo toda essa mudança repentina de comportamento e principalmente se tem relação com irmão mais novo, professora, escola, colegas, enfim, todo o ambiente de convivência da criança.

No caso da minha filha havia resquícios de ciúmes de uma irmãzinha e uma escola passando por uma reestruturação pedagógica. Coincidência ou não, várias crianças apresentaram os mesmos “sintomas”.

Uma dica que eu dou a todos os pais e que ajudou a solucionar o problema e ajudar a minha filha a voltar a ser como ela era, é montar um quadro de incentivos e recompensas. Eu anotava em uma lousa as regras: não bater, não gritar, obedecer papai e mamãe, comer tudo, ser educada, etc., e ia marcando os pontos no positivo ou negativo. No final do dia, com a ajuda dela, fazíamos a contagem dos pontos e víamos se o resultado era positivo ou negativo. 5 resultados diários positivos davam direito a uma surpresa no final de semana. Essa surpresa era coisa simples: tomar sorvete, ir ao cinema, comprar massinha, enfim, coisas que ela gosta e que são mais difíceis de fazer durante a semana! Hoje em dia encontramos esses quadros já prontos ou personalizados! Para quem não conhece, a Realize Ideias faz esses quadros por encomenda! Espero que possa ajudá-los!!!

No mais… recomendo paciência, amor e carinho e com certeza você vai dar conta do recado!

 

3+

Um comentário

///////////////
  1. vladia

    Amei o texto! Estou vivendo toda essa crise na adolescência infantil… Difícil…

    0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *